03 fevereiro 2010

FRAUDE PATERNAL

O que fazer quando um pai descobre, 10 anos depois, que o/a filho/a que criou durante esse tempo, não é seu biológicamente?

Foi o programa de hoje do Dr. Phil...

Acredito que isto seja um tema controverso, mas acima de tudo como fica a criança no meio disto tudo???
Os pais separados, o pai pagava sem falhas a pensão de alimentos, e de repente descobre que o/a filho/a não é verdadeiramente seu de sangue... é assustador.

A mentira de uma mãe é condenável. Ponto final paragrafo...
Uma mãe, numa circunstância destas não deve aceitar mais dinheiro deste "pai", mas também não deve proibir que os filhos deixem de ter visitas com este "pai", pois os laços familiares e emocionais são mais fortes que qualquer quantia financeira. Nos EUA estas casos são dificeis de resolver em Tribunal, visto que por lei são eles os Pais da criança. Mesmo que procurem o verdadeiro pai biológico, legalmente a criança nunca teve outro pai a não ser esse...

O sentimento de uma criança ao descobrir 10 anos depois, de que aquela pessoa que tratava por pai, que tanto ama, de repente não ser o "verdadeiro" tem consequências bem mais profundas que o verdadeiro erro, que foi o de uma mãe enganadora. A questão da confiança é quebrada logo ali... e para isso servem os adultos, para tentar resolver este problema da forma mais correcta para com a criança.

Por mais que se discuta "eu não pago mais pois eu não sou o pai" ou "foste tu que sempre a criaste, és o unico pai que ela conhece" é sempre o papel de um adulto em salvaguardar a criança desta situação constrangedora, e que podia ter sido evitada por unica e simplesmente se dizer a VERDADE!

Mas se o pai, no momento em que descobre a verdade, decide não querer mais visitar a criança, o que fazer então? Aí o pai já não foi adulto o suficiente para entender a dor maior que estava a causar... não para com a mãe na rebelião de "eu não pago nem mais um tostão" e sim "o/a meu/minha filho/a... que amo tanto e dele/a não vou desistir". Aqui fala mais alto o dinheiro que as ligações afectivas.

É doloroso, nos dias de hoje, haver mulheres enganadoras (na maioria por dinheiro), e homens que não o conseguem sem com H grande, entendendo que a maior vitima numa situação destas é apenas e unicamente a CRIANÇA!

Mas esta é apenas a minha mera opinião.

1 comentário:

Sam Seaborn disse...

A vítima é sempre a criança.