18 agosto 2010

DETESTO DESPEDIDAS

A minha filhota Ana não é verdadeiramente minha filha... pelo menos do ponto de vista biológico, mas considero-a como tal. Não apenas por ser filha do meu marido mas porque gosto imenso dela... e isso para mim basta.

Hoje tivemos de nos despedir dela para voltar para a sua "outra casa", sim porque esta será sempre a sua casa (também). É sempre um momento triste, tanto para nós como para ela. E notou-se mais isso esta manhã ao ver ela "inventar" desculpas para não ir...não se queria levantar... continuava a ver a "Alice no país da maravilhas"... e os contínuos "espera só mais um bocado pai..."

Sabendo já ela de antemão que hoje teria de voltar para a mãe, custou-nos imenso ouvir ela fazer a seguinte pergunta esta manhã ao pequeno-almoço:
"Pai, o que é que vamos fazer hoje?
Bem... o pai ficou sem resposta... eu é que lhe respondi com as lágrimas a quererem saltar:
"Oh querida hoje é dia de voltares para a mãe...com imensa pena nossa..."
E ela simplesmente calou-se e continuou a comer...

Acredito que isto faz parte de todos os casais separados e com filhos em comum.

O que me deixa feliz no meio disto tudo é que, esta atitudes da menina apenas demonstram que ela ADORA estar connosco. E isso deixa-me feliz... apesar da tristeza de cada despedida!

3 comentários:

Esperanças desvanecidas ; disse...

Por acaso a música não fala de ser eternamente jovem. Fala da guerra fria que houve naquele tempo e do facto das crianças não quererem crescer, pois quando já fossem adultas seriam obrigadas a entrar para a guerra, e o mais certo seria a morte. Por isso elas não queriam crescer. A música fala da insegurança dessa guerra :)

Sara Martins disse...

minha querida fiél seguidora, notou-se neste texto que o que a menina sente por vós é grande e gosta muito de estar convosco. isso é o que mais interessa :) façam-na feliz e vivam felizes *

<3 beijinho enorme

Paula disse...

É verdade Sara!
Beijinhos doces***