03 julho 2014

FAÇO DELE AS MINHAS PALAVRAS



"Já não tenho paciência para algumas coisas, não porque me tenha tornado arrogante, mas simplesmente porque cheguei a um ponto da minha vida em que não me apetece perder mais tempo com aquilo que me desagrada ou fere.

Já não tenho pachorra para cinismo, críticas em excesso e exigências de qualquer natureza. Perdi a vontade de agradar a quem não agrado, de amar quem não me ama, de sorrir para quem quer retirar-me o sorriso. Já não dedico um minuto que seja a quem me mente ou quer manipular.

Decidi não conviver mais com pretensiosismo, hipocrisia, desonestidade e elogios baratos. Já não consigo tolerar eruditismo seletivo e altivez académica. Não compactuo mais com bairrismo ou coscuvilhice. Não suporto conflitos e comparações.

Acredito num mundo de opostos e por isso evito pessoas de carácter rígido e inflexível. Desagrada-me a falta de lealdade e a traição. Não lido nada bem com quem não sabe elogiar ou incentivar. Os exageros aborrecem-me e tenho dificuldade em aceitar quem não gosta de animais. E acima de tudo já não tenho paciência nenhuma para quem não merece a minha paciência."

José Micard Teixeira

4 comentários:

Maria João disse...

Subscrevo inteiramente. Ainda há dias andava a pensar que me apetecia publicar algo sobre essa falta de paciência, mas ainda bem que não o fiz porque não diria nem dez por cento tão bem quanto ele.

Súrya disse...

É impressionante como, estando a kms de distância, me consigo rever naquilo que escreves e naquilo que te toca... **

Menina Marota disse...

Ainda bem que encontro este texto atribuído ao verdadeiro autor José Micard Teixeira e não a Merryl Streep como corre no Facebook e na própria blogosfera!
Grata por partilhar.
Um abraço

marina maia disse...

Lindo Paula!!!
Beijinho