12 outubro 2007

THE WEDDING

Vou-me dando conta que, infelizmente, a maior parte das pessoas, durante o seu percurso de vida, vão dando prioridades de vida que um dia as farão sentir-se arrependidas. Com a possibilidade de alterar-mos isso a qualquer momento, e com o coração sempre a dar-nos “toques” para que possamos ver isso a tempo, na maior parte das vezes passando a ignorado, vamos vivendo uma vida fútil com olho no futuro (ou no passado) em vez do presente…

Apenas quando se perde é que se ganha a consciência de se dar valor ao que temos mesmo ali ao nosso lado… e ganhar essa consciência é um grande passo para a verdadeira felicidade!

Há quem ainda tenha a sorte da vida lhes dar uma segunda oportunidade para, se redimirem do desgaste do tempo…

O livro que acabei de ler do Nicholas Sparks “The wedding” (em português “A alquimia do amor” – pois eu o li em inglês…), fala disso mesmo: do amor comprometido, generoso e tolerante, que leva as pessoas a darem o melhor de si próprias superando esse desgaste que a vida dá…

Um advogado que sempre viveu a sua vida em função do emprego, esquecendo-se da prenda sem preço que tinha em casa: uma mulher fabulosa de quem amava mais que tudo. Ganhando consciência disso com o finalizar dos anos, conseguiu ter noção e quis dar uma reviravolta no tempo, mostrar-lhe o reverso da moeda: o marido romântico que no fundo era e, essencialmente, fazer a sua mulher sentir que ela era o seu mais que tudo.

Um final arrepiante – no fundo, o sonho de qualquer mulher: sentir-se a pessoa mais importante na vida de alguém!
Mais um dos meus sonhos…

4 comentários:

EMN disse...

Deve ser uma boa leitura sim senhor.
Como disse antes, num comentário ao livro anterior que les-te deste autor, nunca tive o prazer de ler as suas escritas, mas sim, já vi um dos seus livros em filme: Palavras que nunca te direi. que é uma história lindíssima e muito bem contada.

Quanto a este em especial. Realmente deixamo-nos perder nas futilidades que a vida nos proporciona e não olha-mos com olhos de ver mas sim com olhos de constantes críticos.
" Não era isto que eu queria, Não era este tipo de atenção que quero, quero mais daquilo, quero mais do outro....."

Por vezes o que nos dão não é exactamente aquilo com que contamos ter, ou sonhamos ter, mas sim o que nos podem dar.
Temos que saber aceitar com gratidão e carinho. Tudo o resto vem com o tempo.
Devemos ser exigêntes sim, mas com peso e medida.

Um beijo grande mana linda.
Bom livro.

emn***

PaulaNog disse...

A questão nem tem muito a ver com o aceitar com olhos criticos, mas com o, muitas das vezes, "deixar-mos andar"...
Aceitar-mos o que se pode dar, não quer dizer que não se possa fazer/dar um pouco "mais"...
Devemos, acima de tudo, não ser exigente com os outros, mas connosco mesmos!

Acreito fielmente que a vida só tem coisas boas reservadas para cada um de nós!

Obg por fazeres parte da minha vida***

EMN disse...

Obrigado a ti, por aceitares todos os desafios que a vida te tem reservado e ultrapassá-los com cabeça sempre ao alto.

Doro a ti.

emn***

AsaQueNaoVoa disse...

Como eu entendo o que escreveste...
O teu sonho e o de uma grande parte das mulheres.
Também o meu...