08 agosto 2012

BANHO DA ALMA



Recolher sentimentos, ficar quieta, criar e costurar frases sempre me deixam mais tranquila. Como a natureza, eu preciso da brisa, do vento que sopra fraco nos meus pensamentos. A solidão, a falta de barulho, reorganiza os sentimentos ilhados, o desespero de se achar confusa. Tsunamis internos acontecem o tempo todo dentro de mim. É preciso resgatar a paz e deixa-lá invadir o meu coração. O que está acontecendo externamente já não me deixa atordoada, o banho morno acalma a minha alma. Eu apenas tinha me esquecido como é bom ficar em paz.

~Denise Portes~

2 comentários:

Eros disse...

Banhar a Alma brinda-nos justamente com isso... Tranquilidade!

Beijos

Paula Nogueira Guerra disse...

... e que limpa mesmo tudo!

Um beijinho doce querido Eros