27 julho 2007

VOA

Deixa que o meu olhar te persiga...
Deixa que a minha alma te encontre...
Deixa que as tuas asas me ensinem, a força com que enfrentas a tempestade, a paz com que deslizas sobre a espuma do mar... e deixa...
Deixa-te voar...
Voa ...
Voa bem alto...
Voa...
Voa até onde ninguém te alcance...
Voa até onde ninguém te prenda...
Voa até onde só tu sabes...
Voa...
Voa bem alto...
Voa... E é nesse teu voar que me inspiro...
Nessas asas que me solto...
Nessa força que me prendo...
Nessa ousadia que me rendo...
Voa...
Voa bem alto...
Voa...
...e leva-me contigo...
...seja para onde for...
Não me soltes... tenho "medo da água"...
Daquela água que me assusta com as suas ondas gigantes...
Deixa-me segurar as tuas asas...
Voa...
Leva-me contigo!!!!

1 comentário:

Ilda Gabriela disse...

Quem é esse Ser que mereceu tais palavras tão belas?... Amei, Paulinha.