04 fevereiro 2013

MARGARIDA ✿



Hoje comecei a ler o livro que a minha querida Margarida me ofereceu. Um dos livros escritos por ela mesma. E, engraçado pois eu ia ficando arrepiada a cada linha que lia do livro... não sei explicar porquê só sei que o sentia de uma forma fora do normal. Fora deste mundo mesmo... até que cheguei e parei neste frase:

"Nunca tive do amor uma noção de propriedade."

Não perguntem porquê mas as lágrimas queriam saltar cá para fora como se estivessem presas há imenso tempo... e só não o fiz porque estava num autocarro cheio de gente. Contive-me, respirei fundo, e fechei o livro. Não consegui ler mais nada!

Aquelas simples palavras tiveram um grande impacto em mim. E nem sei porquê...

Sempre dei valor à liberdade, seja ela pessoal, de expressão, de vontade, de ser ou de estar. Dou valor a ela porque sou uma pessoa do mundo... não pertenço a ninguém. E não quero que ninguém seja um pertence meu. Sou casada e não quer isso dizer que sejamos propriedade um do outro. Longe disso... 
Nem mesmo os meus filhos... eles vieram ao mundo através de mim mas não para serem um "objecto" meu. Eles também são do mundo. Estou encarregada de cuidar deles até (como diz a Margarida) "perderem o medo" e voarem por eles mesmos.  Tudo o que "possuo" não é meu, pois quando um dia morrer nada disso vai comigo.

Custa-me ver quem possa ter esta noção enraizada de uma forma quase oblíqua, vazia e solitária. Porque uma pessoa que acredita que o marido, os filhos, a casa, o carro, etc lhes pertence, tem de ser uma pessoa completamente longe da realidade da vida. Sejamos antes unidos, de coração e alma, pois só isso faz de nós quem verdadeiramente SOMOS - UM!

Margarida, estou com a lágrima ainda aqui na garganta... não me perguntes porquê... apenas sei que NADA SEI! Obrigada por me ensinares mais ainda! ❀❁

6 comentários:

Uma boa parte de mim disse...

Querida, querida Paula. Que te hei-de eu dizer, se me deixas sempre sem palavras?... Que fico feliz por estares a gostar? Que fico ainda mais feliz por encontrares tanta cumplicidade na leitura?... Aprender, aprendemos todos, uns com os outros. Também aprendo muito contigo, com a tua imensa coragem e com essa transparência que, infelizmente, algumas vezes nas mãos das pessoas erradas causa tantos dissabores...

Gosto muito de ti, como sabes. Este foi o primeiro mas não foi por isso que to enviei em primeiro lugar, mas sim por imaginar que fosse aquele onde mais vezes, ou de forma mais intensa, te fosses encontrar. Sendo assim, depois das tuas palavras. missão cumprida!

Abraço-te, com muito carinho.

S* disse...

Caramba, isso é lindo.

A Minha Essência disse...

Miminhos assim, sabem-nos pela vida, certo? ;)

Boas leituras!

Paula Nogueira Guerra disse...

É como dizes minha amiga Margarida... há cumplicidade e sintonia entre nós. Por isso soubeste escolher tão bem a prenda que me destes... e mais uma vez OBRIGADA :)

Paula Nogueira Guerra disse...

Um beijo doce querida S* :)

Paula Nogueira Guerra disse...

Hajam pessoas que nos aceitam como somos sem juizos de valor; simplesmente de coração e mão abertas!

Um beijo doce linda Essência xxx